Blog do Juares | Douglas Decavata - Fisioterapeuta

Camaquã-RS
23:19
17/12/2017

Blog do Juares | Douglas Decavata - Fisioterapeuta

Redes Sociais

Facebook Twitter RSS Contato
BJ RÁDIO WEB, NA ONDA DO VERÃO!
Anunciantes Blog do Juares

Colunistas

Douglas Decavata - Fisioterapeuta

O fisioterapeuta Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias - Av. Bento Gonçalves, 759, Camaquã/RS - Fones: (51) 3671-6843 / 9843-3270. E-mail: douglas.decavata@hotmail.com .

Fibromialgia: saiba como tratar

21/01/2016 | 09h30
Compartilhe:

A Fibromialgia é uma forma comum de dor muscular generalizada e fadiga, de causa desconhecida. O sintoma mais comum é a dor musculoesquelética difusa. A dor geralmente ocorre em todo o corpo, embora possa começar numa região, como o pescoço e ombros, e pode-se disseminar com o tempo. Cerca de 90% das pessoas com fibromialgia descreve fadiga (cansaço) moderada ou severa. Também podem apresentar problemas de sono, enxaqueca (dor de cabeça) e alterações de humor.

O diagnóstico baseia-se no exame clínico feito pelo reumatologista ou fisioterapeuta com base nos sintomas da pessoa. Como as queixas principais são dor, limitação de movimento e fraqueza muscular, é importante avaliar estes aspectos para serem avaliados inicialmente e reavaliados ao longo do tratamento.

Estabelecem-se os seguintes critérios que devem estar presentes por um período mínimo de três meses: história de dor difusa e dor em 11 de 18 pontos dolorosos (figura acima): região occipital (nuca), região cervical baixa (pescoço), músculo trapézio (costas), músculos supra-espinhosos, epicôndilos laterais (cotovelos), segundos espaços intercostais (costelas), músculos glúteos (bumbum), trocânteres maiores (fêmur) e joelhos.

O tratamento médico inclui a inativação dos pontos gatilhos (feitas através de injeção com anestésicos ou solução fisiológica salina seguida por alongamento e calor). A reabilitação fisioterapêutica se dá pela terapia manual através da pressão dos tender points (área sensível no músculo, junção tendão músculo, coxim gorduroso ou região da bursa), fricção profunda e alongamento muscular. Restauração da amplitude de movimento e força muscular com alongamentos e exercícios cinesioterapêuticos. Analgesia com termo-eletroterapia e, além disso, programas educativos para ajudá-lo a entender e a lidar com a fibromialgia.

Algumas pessoas com fibromialgia apresentam sintomas tão severos que elas são incapazes de desempenhar-se bem no trabalho ou socialmente. Esses indivíduos podem requerer atenção num programa que utiliza fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, reumatologista, psicólogo e especialista em sono.

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843.

Compartilhe:

Cuidados com a postura ao dirigir evita dores nas costas

20/12/2015 | 19h45
Compartilhe:

Nesta época comemoramos o Natal e Ano Novo e os cuidados ao volante devem ser redobrados para quem irá viajar. Acompanhe aqui algumas dicas para diminuir o desgaste físico da viagem.

Pegar a estrada requer precaução. Além de muita atenção ao volante e a todos os dispositivos de segurança do veículo e da pista, é preciso ter muita cautela com a postura, para evitar uma das principais reclamações de quem passa muito tempo na estrada: as dores nas costas.

Pessoas que ficam horas sentadas na mesma posição podem sofrer sérios danos à saúde. Entre os sintomas mais comuns estão as dores musculares na região cervical, torácica e lombar. É comum também a flexibilidade reduzida, a incapacidade de manter a coluna “reta” e a sensação de “estalo” nas costas.

Com um pouco de cuidado na hora de dirigir, muitas complicações podem ser evitadas. Detalhes como ajustar o banco da maneira correta, manter os dois braços confortáveis (semiflexionados e sempre ao volante) e as pernas a uma distância cômoda dos pedais são capazes de livrar os motoristas das dores no final da viagem. Uma inclinação muito acentuada de encosto, que impeça o condutor de apoiar toda a região lombar, por exemplo, sobrecarrega o pescoço e os ombros. É fundamental que a pessoa não force o pescoço para cima ou para baixo.

Para quem vai pegar estrada, é aconselhável que programe paradas a cada duas horas, a fim de “esticar” as pernas e braços, caminhar um pouco, e se alongar antes de seguir viagem. Outra dica é evitar sentar-se no carro com objetos nos bolsos de trás. Isso pode provocar reações no nervo ciático, causando dores lombares que irradiam para as pernas.

A Fisioterapia, a Quiropraxia, a Massoterapia e a Acupuntura são terapias alternativas que tratam as dores nas costas. O método Pilates serve como tratamento preventivo, visto que, as dores nas costas também podem estar relacionadas ao sedentarismo (falta de exercício).

Fonte: Ecosul maio/junho 2013

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843.

Compartilhe:

Quiropraxia – Antes ou depois de treinar?

12/12/2015 | 19h13
Compartilhe:

Veja qual a melhor hora para procurar o ajuste da coluna

Muitos praticantes de atividades físicas como corrida, ciclismo e natação, por exemplo, estão buscando a Quiropraxia como forma de melhorar o desempenho de seu corpo. Uma dúvida recorrente nos consultórios é saber se é melhor fazer o ajuste antes ou depois dos treinos por esses atletas – amadores ou não.

A Quiropraxia é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das formas mais eficazes de combater a dor, além de ser uma grande aliada dos esportistas, já que ajuda a prevenir lesões, aprimorar o desempenho e a manter o funcionamento ideal do organismo. Logo, fazer o procedimento antes ou após as atividades físicas vai depender do objetivo individual:

Quiropraxia antes do treino:

Ajuda a melhorar o desempenho, dando mais equilíbrio ao corpo, diminuindo a sobrecarga e, consequentemente, reduzindo o gasto energético. Com ajustes quiropráticos, o sistema nervoso funciona livre de interferências, o que faz com que a mensagem que controla cada célula do corpo alcance seu destino por completo – potencializando, assim, a resposta do organismo frente à atividade realizada.

Quiropraxia depois do treino:

Auxilia na preservação da integridade fisiológica e na restauração do funcionamento ideal do organismo. As atividades físicas geram um desgaste e, de certa forma, consomem nossa energia. O ajuste quiroprático após o exercício estimula o processo de recuperação do corpo. A coluna se realinha, os músculos relaxam e o sistema nervoso, agora sem interferências, ajuda também nesse processo de restauração.

Vale sempre lembrar: Quiropraxia e atividades físicas andam juntas. Assim como dormir bem e se alimentar de forma saudável.

Fonte: http://www.suacorrida.com.br/saude/quiropraxia-antes-ou-depois-de-treinar/

O quiropraxista Max Peres Dias atende na Av. Bento Gonçalves, 759, centro

Telefone (51) 3671-6843

Camaquã/RS

Compartilhe:

QUIROPRAXIA – Abordagem sobre o andador infantil

27/11/2015 | 11h54
Compartilhe:

Todo bebê adora um andador. É como se pilotasse pela primeira vez uma Ferrari. Sensação de liberdade para os pequenos e comodidade para os pais. Mas muito cuidado aos perigos. Ultimamente tem-se falado muito sobre os contras do andador. Listando alguns temos:

- Machucados e Traumatismos: A criança constantemente vai estar batendo em alguma coisa, seja na parede ou na mesa, por exemplo, podendo derrubar algum coisa sobre ele.

- Lesões nas articulações de membros inferiores: Colocar uma criança que ainda não consegue ficar de pé sozinha, mesmo que com apoio, num andador pode levar a lesões nas articulações dos membros inferiores, pois os músculos das pernas não estão devidamente fortalecidos;

- Atraso no desenvolvimento motor do bebê: A criança deve passar por todas as fases do desenvolvimento motor até aprender a andar sozinha e colocá-la no andador antes dela ser capaz de ficar de pé sozinha, mas com apoio, pode fazê-la andar até 1 mês mais tarde que o esperado.

Porém tem algo muito importante que devemos salientar, trazendo o assunto para o nosso lado (coluna vertebral). Constantemente chegam ao consultório clientes com problemas estruturais na coluna, com alterações nas curvas da coluna vertebral como: retificações de curvas, inversões de curvas, curvas compensatórias, diminuições de curvas (hipocifose, hipolordose) e aumento de curvas (hipercifose, hiperlordose) ocasionando assim mais impacto sobre discos intervertebrais e possibilitando processos degenerativos acentuados como desgastes em articulações, discopatias, hérnias discais, osteófitos, e outros problemas. Quando uma criança nasce, ela possui uma única curvatura na coluna conhecida como cifose contínua (como se fosse um “C”). Conforme esta criança começa a movimentar e engatinhar ela vai “criando” a curvatura lordótica cervical pelo fato de erguer a cabeça, por exemplo. E quando, por volta do 6º ao 8º mês, esta criança começa a rolar e a sentar, ela adquire a lordose lombar. Ficando conhecida assim como curvatura primária a cifose torácica e sacrococcígea e secundária a lordose lombar e cervical.

O quiropraxista Max Peres Dias atende em seu consultório na Av. Bento Gonçalves, 759, em Camaquã/RS. Telefone: (51) 3671-6843.

Compartilhe:

Esclerose Múltipla

08/11/2015 | 01h10
Compartilhe:

Na telenovela “A regra do Jogo” da Rede Globo, o personagem Romero Rômulo “Nero” tem Esclerose Múltipla. Por este motivo faço um breve esclarecimento sobre esta doença do Sistema Nervoso Central, de causa ainda desconhecida e sem cura.

Na esclerose múltipla a perda de mielina (desmielinização) interfere na transmissão dos impulsos e isto produz os diversos sintomas da doença. Literalmente, significa episódios que se repetem várias vezes. Até certo ponto, a maioria dos pacientes se recupera clinicamente dos ataques individuais de desmielinização, produzindo-se o curso clássico da doença, ou seja, surtos e remissões.

Em cada indivíduo a esclerose múltipla manifesta com diferentes sintomas, que variam em cada caso. A primeira lesão a se manifestar clinicamente pode não ser a primeira ocorrida. A maioria das pessoas experimenta mais de um sintoma, sendo os mais comuns: fadiga (cansaço), fraqueza muscular, parestesia (p.ex.: formigamento), deambulação (caminhada) instável, visão dupla, tremor e disfunção da bexiga e dos intestinos. Manifestações como hemiplegia (paralisia de um lado do corpo), neuralgia do trigêmeo e paralisia facial, são menos comuns. Alguns desses sintomas são imediatamente evidentes, outros, são frequentemente sutis, que aparecem e desaparecem.

O tratamento pode ser medicamentoso aliado ao reabilitacional, e têm como finalidade fazer com que o portador continue sendo independente, esteja confortado, seja produtivo e atinja um bom nível de resistência. A reabilitação fisioterapêutica tem por objetivo ajudar o paciente a realizar as atividades da vida diária tão facilmente quanto possível e desse modo melhorar sua qualidade de vida. A esclerose múltipla se caracteriza por um progressivo aumento do nível de incapacidade, e a tarefa do fisioterapeuta é maximizar a capacidade funcional do paciente. Isso é obtido por meio de educação, exercícios, tratamentos específicos e o fornecimento dos auxílios necessários.

O tratamento tradicional com cinesioterapia (no solo) e a Hidroterapia auxiliam a reduzir a progressão do comprometimento dos movimentos. Além disso, Fisioterapia Respiratória deve fazer parte da rotina dos pacientes com esclerose múltipla para diminuir os riscos de infecção e insuficiência pulmonar.

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843.

Compartilhe: