Blog do Juares | Douglas Decavata - Fisioterapeuta

Camaquã-RS
23:18
17/12/2017

Blog do Juares | Douglas Decavata - Fisioterapeuta

Redes Sociais

Facebook Twitter RSS Contato
BJ RÁDIO WEB, NA ONDA DO VERÃO!
Anunciantes Blog do Juares

Colunistas

Douglas Decavata - Fisioterapeuta

O fisioterapeuta Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias - Av. Bento Gonçalves, 759, Camaquã/RS - Fones: (51) 3671-6843 / 9843-3270. E-mail: douglas.decavata@hotmail.com .

QUIROPRAXIA: Abordagem na Hérnia de Disco

27/04/2015 | 22h16
Compartilhe:

Você está sentindo alguma dor na coluna? Sente alguma irradiação da dor para braços ou pernas? Algum formigamento ou dormência nas mãos ou nos pés? Fez uma ressonância magnética que lhe apontou hérnia de disco? Pois bem, não se assuste. Hoje em dia encontramos tratamentos para esse problema que afeta cerca de 5,4 milhões de brasileiros. Um dos tratamentos convencionais mais conceituados no mundo é a Quiropraxia.

Segundo o quiropraxista Max Peres Dias, uma lesão no disco pode ser originada por uma queda, um acidente de carro ou por levantar objetos pesados de forma inadequada. Numa fase inicial, pode produzir dor imediata, localizada ou irradiada para extremidades. Normalmente, é acompanhada por espasmos/contraturas musculares que alteram a forma da coluna, como uma reação do corpo na tentativa de evitar o movimento do local, diminuindo a causa de mais danos ao disco. A hérnia de disco acontece em qualquer disco da coluna vertebral, mas é mais comum na cervical ou lombar. A região lombar é o lugar mais frequentemente sobrecarregado na vida cotidiana. Quando o nervo está comprimido, dor, adormecimento, formigamento, queimação e fraqueza podem ser sentidos por onde o nervo passa, através da perna.

A Quiropraxia dedica-se ao tratamento e a prevenção de alterações mecânicas (sub-luxações) do sistema músculo-esquelético e seus efeitos sobre a função do sistema nervoso e da saúde de maneira geral. Sabemos que a hérnia de disco resulta de disfunção entre a vértebra, o disco e a vértebra adjacente, ou seja a sub-luxação. Por devolver a função normal à articulação, o quiropraxista consegue tirar a compressão que a hérnia e a inflamação associada causam ao nervo. A maioria dos pacientes que procuram a clínica apresentam este problema e o sucesso da Quiropraxia vem porque os ajustes feitos pelo quiropraxista devolvem o movimento e a função normal à coluna, tirando a compressão do nervo causado pela hérnia.

Não é milagre e pode demorar entre uma semana ou vários meses. Recomenda-se que após o tratamento seja feito revisões periódicas da coluna com um quiropraxista, mesmo que não tenha dor, além de exercícios próprios para coluna, alongamentos e mudanças posturais com a Fisioterapia ou o Pilates que também temos no consultório. O quiropraxista Max Peres Dias atende em seu consultório na avenida Bento Gonçalves, número759, em Camaquã/RS.

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843

Compartilhe:

Fisioterapia na Capsulite Adesiva (ombro congelado)

15/04/2015 | 23h23
Compartilhe:

A Capsulite adesiva caracteriza-se pelo surgimento de dor no ombro e sua intensidade aumenta a ponto de se tornar insuportável em especial à noite. Se o portador não procura tratamento, ocorre limitação progressiva dos movimentos do ombro, por isso a doença é conhecida também como “ombro congelado”.

E porque razão ela se chama capsulite adesiva? “Capsulite” porque o portador constata-se com exames, uma inflamação na cápsula articular do seu ombro, espécie de membrana com ligamentos que amarram e envolvem as articulações. Na Capsulite, também se pode comprovar que o líquido sinovial articular está diminuído. Já o “adesiva” deve-se ao fato de a cápsula perder elasticidade e aderir aos ossos.

Ela é autolimitada, ou seja, em até dois anos em geral se cura sozinha. O grande problema é que não se sabe que sequelas pode deixar. As mais comuns são: perda dos movimentos no ombro, atrofia da musculatura; e, por falta de uso, atrofia e fragilização dos ossos. O ideal é consultar o médico ortopedista à primeira indicação. Infelizmente, a capsulite não é bem conhecida e pode ser confundida com bursite, lesão de tendão, artrose e outras doenças do ombro. O diagnóstico inicial é clínico, pode-se comprovar a capsulite com exames como raio X e ressonância magnética.

A primeira parte do tratamento consiste em conversar com o paciente e tranquilizá-lo em relação à dor e à perda de movimentos e de que se trata de uma doença benigna. Com isso, ele se anima e se torna um parceiro no tratamento. Deve-se, em seguida descartar as outras doenças citadas, seja clinicamente, seja mediante exames.

Já o tratamento em si objetiva controlar a dor e evitar a perda progressiva de movimentos e/ou recuperá-los. Usa-se para isso, remédios, Fisioterapia e hidroterapia. Quando não se tem os resultados pretendidos, recorre-se a infiltrações articulares, bloqueios de nervos e até cirurgia, que consiste em liberar a cápsula e/ou os ligamentos que estejam encurtados e/ou tenham aderido aos ossos. A reabilitação fisioterapêutica é fundamental para o paciente voltar às atividades sociais e profissionais o mais rápido possível.

A independência funcional do paciente nas atividades de vida diária, como por exemplo: na sua higiene pessoal, ao alimentar-se, ao vestir-se, ao limpar a casa, ao cozinhar, ao dirigir, no trabalho, etc., é o principal objetivo do fisioterapeuta após o tratamento.

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843.

Compartilhe:

Usar corretamente o celular e notebook evita dores na coluna

18/03/2015 | 19h19
Compartilhe:

Você sabia que o vício em tecnologia pode afetar a coluna vertebral? Embora o uso de celular e notebook facilitem a nossa vida, quando utilizados em posições inadequadas pode prejudicar a coluna.

Normalmente, o uso desses aparelhos é feito com a cabeça inclinada para baixo, o que pode causar desvio de coluna, causar o desgaste do disco que fica entre as vértebras e contribuir para o aparecimento de uma hérnia. Quando uma pessoa usa um celular ou tablet de maneira incorreta, ela praticamente triplica o esforço da musculatura para suportar o peso da cabeça, que é de aproximadamente 6 kg e pode chegar até 20 kg de sobrecarga.

A lesão por esforços repetitivos é comum por causa do uso sem pausas de tecnologias como tablets, celulares, notebooks e computadores, por exemplo. O ideal é realizar pausas a cada hora para relaxar a postura, dedos e punhos. Outra medida importante para quem deseja prevenir dores causados pelo uso excessivo do celular é sempre acessá-lo na altura dos olhos, sendo que um braço deve estar cruzado dando o devido aporte para o outro braço. Isso evita a sobrecarga da musculatura cervical.

Evite segurar o aparelho celular ou o telefone fixo com o ombro, pois isso pode causar uma tensão na musculatura cervical e sobrecarregar as articulações. Evite usar o tablet no colo, pois essa ação faz com que você fique olhando para baixo e pode provocar dores na região cervical. Coloque-o em um local que fique à altura dos olhos ou, se isso não for possível, coloque-o em cima de uma almofada para reduzir a inclinação da cabeça e manter a coluna reta.

Uma dica de exercício é movimentar a cabeça: “levante e abaixe” a cabeça devagar, por cinco vezes. Em seguida, faça para direita e esquerda. É importante que a pessoa não sinta dor durante os exercícios, caso a dor exista, interrompa o exercício. Outra alternativa é encher uma bolsa de borracha com água quente e colocar sobre a região de tensão. Se as dores persistirem procure consultar com um fisioterapeuta.

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843

Compartilhe:

Canelite (prevenção e tratamento)

21/02/2015 | 11h22
Compartilhe:

Você sabe o que é canelite? Esse termo é utilizado para indicar uma série de condições que causam dores na perna. O termo científico “Síndrome do Estresse Tibial” define essa lesão, diferenciando-a das fraturas por estresse.

A canelite é causada por micro-trauma do músculo tibial anterior em sua inserção na metade proximal da face lateral da tíbia (osso da perna), que causa, também, uma inflamação aguda do periósteo (tecido conectivo que envolve o osso) tibial. Geralmente acomete pessoas destreinadas que começam uma atividade de corrida ou corredores condicionados que modificam ou aumentam a velocidade de corrida, modificam a distância ou mudam o tipo de tênis ou o terreno onde correm. Também é comum em jogadores de futebol em início de temporada, no qual a musculatura não está totalmente adaptada à carga de treinamento.

Essa inflamação ocorre porque o músculo tibial anterior é pouco treinado e quando utilizado em atividades como corrida, são submetidos a uma espécie de “overtraining” (excesso de treinamento). No verão é comum este tipo de lesão nas clínicas de fisioterapia. Uma boa dica é realizar as “longas” caminhadas na beira da praia com o uso de tênis adequado e um bom alongamento da musculatura da canela que pode ser realizado afastando-se a ponta dos pés da perna (pés de bailarina) por 20 segundos. Outra medida para prevenir a inflamação é treinar esta musculatura com pesos, o que é recomendado, principalmente, para quem irá utilizá-la bastante, como no caso de corredores.

Uma pessoa com canelite sente dores no meio da perna e a dor geralmente some quando a atividade que a causou é interrompida. O repouso e crioterapia (gelo por 20 minutos) são recomendados na fase inicial da síndrome. Se as dores persistirem, o melhor a fazer é consultar seu professor de Educação Física (para verificar se o treino pode ser adaptado), o médico (que irá requerer exames complementares, geralmente um diagnóstico por imagem diferente do raio-X, para diagnosticar) e o fisioterapeuta (para tratar do problema com as técnicas de eletroterapia, cinesioterapia, propriocepção, bandagem funcional e pliometria).

Se ao voltar a treinar, as dores também voltarem, é necessário analisar alguns fatores: biomecânica do movimento, tênis desgastados, treino em superfície (piso) muito rígida e o aumento excessivo do volume e intensidade do treinamento. Siga essas dicas para acabar de vez com a canelite.

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843

Mini-currículo do Fisioterapeuta:

Fisioterapeuta da Clínica Max Peres Dias
Instrutor do Método Pilates Solo, Bola e Aparelhos
Formação no Conceito Mulligan
Graduado em Fisioterapia pelo Centro Universitário Metodista do IPA
Graduando em Educação Física pela Universidade Federal de Pelotas
Fisioterapeuta da Seleção Gaúcha de Muaythai nos Campeonatos Brasileiros 2011 e 2012
Fisioterapeuta da Equipe Lions de Muaythai, Taekwondo e M.M.A.
Além de colunista no site Blog do Juares, Douglas Decavata é colunista de saúde do Jornal Tribuna Centro-Sul e colunista de fisioterapia esportiva no site www.celiomargarcia.com.br
Estágio na Fisioterapia das Categorias de Base do Sport Club Internacional
Estágio no Hospital Parque Belém e Complexo Hospitalar Santa Casa de POA
Estágio no Posto de Saúde IAPI, Asilos SPAAN e Padre Cacique de POA
Curso de Lesões do Joelho - Avaliação e Tratamento
Curso de Biomecânica do Pé e a Corrida
Curso de Fisioterapia nas Lesões Musculoesqueléticas no Esporte.

 

Compartilhe:

Os Benefícios da Massoterapia

12/01/2015 | 17h41
Compartilhe:

 Nesta edição a massoterapeuta Nina Decavata explica os benefícios que a massagem proporciona ao corpo e a mente. Vale a pena conferir!

A Massoterapia é uma técnica terapêutica de massagens realizada pelo fisioterapeuta ou massoterapeuta. É um tipo de tratamento bastante procurado pela população hoje em dia visando auxiliar no sistema linfático, por conta da estética corporal, além de minimizar os efeitos do estresse, má circulação sanguínea, dores musculares ou lesões no corpo. Assim também pode ser utilizada como meio de prevenção desses fatores ao invés de ser visto como um meio de aliviar esses problemas. Os pacientes/clientes que estão acostumados com a técnica relatam muitos elogios e benefícios a respeito dela.

Os seus benefícios são basicamente o aumento da percepção do corpo, a consciência corporal, o relaxamento desviando os problemas de estresse, promove uma melhora na circulação sanguínea, linfática e capilar, melhora a capacidade do sistema respiratório, é também um meio antidepressivo, desportivo, favorece a estética do corpo, tonifica os músculos, equilibra a parte física e mental, é um estímulo muscular profundo e sensorial, estimula os nervos receptores de informações, ameniza fibrose em músculos que sofreram lesões, auxilia na flexibilidade dos músculos, melhora a elasticidade e aparência da pele, libera aderência e fibrose de cicatrizes, alivia dores nos músculos, previne da fadiga muscular, promove mais disposição ao corpo, sensação de bem estar e leveza.

Devido a todos esses benefícios, a massoterapia é excelente para pessoas que sofrem com a pele, junto de exercícios físicos são ótimas para combater a celulite ou a elasticidade da pele, problemas esses de muitas pessoas e principalmente as mulheres. Por isso é visto como um meio de solução para grande parte da população, e desde então passou a ser um meio bastante recomendado por muitos especialistas da área da saúde como dermatologistas, traumatologistas, psicólogos, entre outros.

Como podemos perceber, seus principais benefícios são relacionados à pele e músculo, portanto o profissional deve fazer faculdade ou cursos para essa finalidade para que seu trabalho seja de total eficiência e os resultados esperados sejam totalmente obtidos pelas pessoas que buscam esse meio tão benéfico ao corpo.

Nina Decavata atende em seu consultório na Av. Capitão Adolfo Castro, nº 299, em Camaquã/RS

Contato: (51) 9628-2378

VN:F [1.9.16_1159]

Compartilhe: