Blog do Juares | Douglas Decavata - Fisioterapeuta

Camaquã
05:39
27/06/2017

Blog do Juares | Douglas Decavata - Fisioterapeuta

Redes Sociais

Facebook Twitter RSS Contato
OS MELHORES FLASHBACKS!
Anunciantes Blog do Juares

Colunistas

Douglas Decavata - Fisioterapeuta

O fisioterapeuta Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias - Av. Bento Gonçalves, 759, Camaquã/RS - Fones: (51) 3671-6843 / 9843-3270.

Canelite (prevenção e tratamento)

21/02/2015 | 11h22
Compartilhe:

Você sabe o que é canelite? Esse termo é utilizado para indicar uma série de condições que causam dores na perna. O termo científico “Síndrome do Estresse Tibial” define essa lesão, diferenciando-a das fraturas por estresse.

A canelite é causada por micro-trauma do músculo tibial anterior em sua inserção na metade proximal da face lateral da tíbia (osso da perna), que causa, também, uma inflamação aguda do periósteo (tecido conectivo que envolve o osso) tibial. Geralmente acomete pessoas destreinadas que começam uma atividade de corrida ou corredores condicionados que modificam ou aumentam a velocidade de corrida, modificam a distância ou mudam o tipo de tênis ou o terreno onde correm. Também é comum em jogadores de futebol em início de temporada, no qual a musculatura não está totalmente adaptada à carga de treinamento.

Essa inflamação ocorre porque o músculo tibial anterior é pouco treinado e quando utilizado em atividades como corrida, são submetidos a uma espécie de “overtraining” (excesso de treinamento). No verão é comum este tipo de lesão nas clínicas de fisioterapia. Uma boa dica é realizar as “longas” caminhadas na beira da praia com o uso de tênis adequado e um bom alongamento da musculatura da canela que pode ser realizado afastando-se a ponta dos pés da perna (pés de bailarina) por 20 segundos. Outra medida para prevenir a inflamação é treinar esta musculatura com pesos, o que é recomendado, principalmente, para quem irá utilizá-la bastante, como no caso de corredores.

Uma pessoa com canelite sente dores no meio da perna e a dor geralmente some quando a atividade que a causou é interrompida. O repouso e crioterapia (gelo por 20 minutos) são recomendados na fase inicial da síndrome. Se as dores persistirem, o melhor a fazer é consultar seu professor de Educação Física (para verificar se o treino pode ser adaptado), o médico (que irá requerer exames complementares, geralmente um diagnóstico por imagem diferente do raio-X, para diagnosticar) e o fisioterapeuta (para tratar do problema com as técnicas de eletroterapia, cinesioterapia, propriocepção, bandagem funcional e pliometria).

Se ao voltar a treinar, as dores também voltarem, é necessário analisar alguns fatores: biomecânica do movimento, tênis desgastados, treino em superfície (piso) muito rígida e o aumento excessivo do volume e intensidade do treinamento. Siga essas dicas para acabar de vez com a canelite.

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843

Mini-currículo do Fisioterapeuta:

Fisioterapeuta da Clínica Max Peres Dias
Instrutor do Método Pilates Solo, Bola e Aparelhos
Formação no Conceito Mulligan
Graduado em Fisioterapia pelo Centro Universitário Metodista do IPA
Graduando em Educação Física pela Universidade Federal de Pelotas
Fisioterapeuta da Seleção Gaúcha de Muaythai nos Campeonatos Brasileiros 2011 e 2012
Fisioterapeuta da Equipe Lions de Muaythai, Taekwondo e M.M.A.
Além de colunista no site Blog do Juares, Douglas Decavata é colunista de saúde do Jornal Tribuna Centro-Sul e colunista de fisioterapia esportiva no site www.celiomargarcia.com.br
Estágio na Fisioterapia das Categorias de Base do Sport Club Internacional
Estágio no Hospital Parque Belém e Complexo Hospitalar Santa Casa de POA
Estágio no Posto de Saúde IAPI, Asilos SPAAN e Padre Cacique de POA
Curso de Lesões do Joelho - Avaliação e Tratamento
Curso de Biomecânica do Pé e a Corrida
Curso de Fisioterapia nas Lesões Musculoesqueléticas no Esporte.

 

Compartilhe:

Os Benefícios da Massoterapia

12/01/2015 | 17h41
Compartilhe:

 Nesta edição a massoterapeuta Nina Decavata explica os benefícios que a massagem proporciona ao corpo e a mente. Vale a pena conferir!

A Massoterapia é uma técnica terapêutica de massagens realizada pelo fisioterapeuta ou massoterapeuta. É um tipo de tratamento bastante procurado pela população hoje em dia visando auxiliar no sistema linfático, por conta da estética corporal, além de minimizar os efeitos do estresse, má circulação sanguínea, dores musculares ou lesões no corpo. Assim também pode ser utilizada como meio de prevenção desses fatores ao invés de ser visto como um meio de aliviar esses problemas. Os pacientes/clientes que estão acostumados com a técnica relatam muitos elogios e benefícios a respeito dela.

Os seus benefícios são basicamente o aumento da percepção do corpo, a consciência corporal, o relaxamento desviando os problemas de estresse, promove uma melhora na circulação sanguínea, linfática e capilar, melhora a capacidade do sistema respiratório, é também um meio antidepressivo, desportivo, favorece a estética do corpo, tonifica os músculos, equilibra a parte física e mental, é um estímulo muscular profundo e sensorial, estimula os nervos receptores de informações, ameniza fibrose em músculos que sofreram lesões, auxilia na flexibilidade dos músculos, melhora a elasticidade e aparência da pele, libera aderência e fibrose de cicatrizes, alivia dores nos músculos, previne da fadiga muscular, promove mais disposição ao corpo, sensação de bem estar e leveza.

Devido a todos esses benefícios, a massoterapia é excelente para pessoas que sofrem com a pele, junto de exercícios físicos são ótimas para combater a celulite ou a elasticidade da pele, problemas esses de muitas pessoas e principalmente as mulheres. Por isso é visto como um meio de solução para grande parte da população, e desde então passou a ser um meio bastante recomendado por muitos especialistas da área da saúde como dermatologistas, traumatologistas, psicólogos, entre outros.

Como podemos perceber, seus principais benefícios são relacionados à pele e músculo, portanto o profissional deve fazer faculdade ou cursos para essa finalidade para que seu trabalho seja de total eficiência e os resultados esperados sejam totalmente obtidos pelas pessoas que buscam esse meio tão benéfico ao corpo.

Nina Decavata atende em seu consultório na Av. Capitão Adolfo Castro, nº 299, em Camaquã/RS

Contato: (51) 9628-2378

VN:F [1.9.16_1159]

Compartilhe:

Os Benefícios da Fisioterapia Domiciliar

02/12/2014 | 20h00
Compartilhe:

Durante muito tempo o conceito de Fisioterapia domiciliar ficou restrito à aplicação da terapia à pacientes acamados ou com dificuldade de locomoção. Embora estes ainda sejam os principais usuários das terapias de “Home Care”, cada vez cresce mais o interesse da população em geral para este tipo de intervenção, em função das grandes vantagens oferecidas.

Dentre os principais pontos positivos que o tratamento domiciliar oferece, destacam-se:

> As sessões são realizadas no conforto da casa.

> Economiza e não se perde tempo com deslocamentos.

> Não é necessário aguardar em salas de espera.

> Há flexibilidade de horários. Você não precisa ficar restrito ao horário comercial, pois a terapia pode ser feita cedo da manhã, noite ou mesmo em fins de semana ou feriados dependendo de o caso necessitar de Fisioterapia ininterrupta.

> Conta-se com muitos dos equipamentos que costumam ser usados na própria clínica, já que com a evolução da tecnologia na Fisioterapia hoje existem no mercado aparelhos compactos e de fácil transporte.

> Análise do ambiente permitindo detecção de barreiras arquitetônicas que possam dificultar a locomoção do paciente, bem como identificação de potenciais riscos para quedas ou acidentes.

> Maior comodidade e facilidade para os pacientes que dependem de alguém que os leve até uma clínica ou apresentam dificuldades de locomoção.

> O atendimento é personalizado e permite que a família acompanhe de perto o tratamento e evolução do paciente.

Diversas são as áreas de atenção, incluindo a Fisioterapia aplicada à Neurologia, Respiratória, Ortopedia, Geriatria, Pediatria ou ainda Obstetrícia. Esta profissão envolve muita criatividade, de forma que a cada local de atendimento é possível visualizar novas formas de aproveitar o espaço nas sessões. Além disso, como vários equipamentos são levados para a casa do paciente, o fato da sessão ser realizada no domicílio não traz prejuízos no tratamento, basta saber adaptar bem os exercícios.

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843.

Compartilhe:

Fisioterapia no Idoso

18/11/2014 | 17h42
Compartilhe:

A Fisioterapia pode ser necessária em qualquer fase da vida, porém na “Terceira Idade” tem uma importância maior, não só de tratamento, mas como de prevenção.

Um exemplo de prevenção é evitar as posturas viciosas, que dificultam as atividades diárias do idoso, ocasionando encurtamentos musculares e dores, neste caso, a aplicação do tratamento fisioterapêutico através de alongamentos globais, fortalecimento da musculatura enfraquecida e com trabalho de marcha (caminhada), melhora a postura e preserva as articulações. O método Pilates também é importante para prevenir as complicações oriundas do envelhecimento.

O fisioterapeuta é um profissional responsável pelo diagnóstico, prevenção, recuperação e tratamento das disfunções do organismo humano, causadas por má formação genética, acidentes ou posturas incorretas no dia a dia. É importante que o paciente deixe claro suas necessidades e o motivo da procura pela Fisioterapia. Se for necessário, o fisioterapeuta deve trabalhar multi-profissionalmente (médico, enfermeiro, psicólogo, cuidador, entre outros.) ou até encaminhar a outro fisioterapeuta que conheça outras técnicas que eventualmente sejam mais adequadas.

Nesta fase da vida, as mais utilizadas são: aCinesioterapia (exercícios terapêuticos que trabalham a amplitude de movimento, a força muscular, a coordenação, o equilíbrio, a flexibilidade, a consciência corporal e a resistência aeróbia), a Fisioterapia Respiratória, que torna mais eficiente a entrada e saída de ar dos pulmões e melhora a troca gasosa, a Hidroterapia (Fisioterapia realizada dentro da água) e o método Pilates, que visa principalmente a melhora da postura, o equilíbrio e a flexibilidade corporal.

Portanto, podemos afirmar que, a Fisioterapia na Terceira Idade apresenta diversos benefícios, dentre eles, podemos destacar: o envelhecimento com qualidade de vida, o aumento da força muscular, a melhora notável em sua capacidade de locomoção e equilíbrio, bem como a coordenação dessas funções. Também garante, para os idosos, a independência e o conforto na realização das suas AVD’s (atividades diárias).

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843.

Compartilhe:

Lesão do Manguito Rotador (ombro)

03/11/2014 | 22h42
Compartilhe:

Os músculos do manguito rotador são importantes em movimentos do ombro e na manutenção da estabilidade de conjunto glenoumeral (ombro), são eles: supra-espinhal, infra-espinhal, redondo menor e subescapular.

O ombro é a articulação de maior mobilidade do corpo humano é também uma das articulações mais vulneráveis do ponto de vista de lesões. Algumas das lesões de ombro relacionadas ao manguito rotador são: instabilidade do ombro, síndrome do impacto, síndrome do pinçamento, bursite subacromial, espessamento da bolsa subacromial, tendinite calcificante, rigidez da cápsula posterior, fraqueza periescapular e capsulite adesiva (ombro congelado).

As lesões do manguito rotador podem ocorrer devido à degeneração ligamentar, traumatismo e uso excessivo da articulação levando ao desgaste articular. Além disso, a atividade diária desenvolvida por determinado indivíduo também pode ser fator importante para desenvolver a doença. Acometem predominantemente indivíduos do sexo masculino, acima dos 50 anos.

Os sintomas nas lesões de manguito rotador podem ser: inflamação do tendão do supra-espinhoso, dor ao movimento, diminuição da amplitude de movimento, diminuição da força muscular, fibrose, retração da musculatura, ruptura do tendão (em casos mais graves), hipotrofia e hipotonia

Os pacientes portadores de lesão do manguito rotador podem ser divididos em três grupos: não-cirúrgicos (apresentam tendinite ou rupturas parciais, necessitam de Fisioterapia), aqueles em risco de desenvolver lesões irreversíveis (portadores de lesão completa ou médias, tratados cirurgicamente e com Fisioterapia), pacientes crônicos que necessitam de reparo cirúrgico (geralmente acima dos 50 anos de idade).

O tratamento fisioterapêutico se dá por: imobilização se necessário, eletroterapia e termoterapia para tratar quadro álgico e inflamatório, exercícios cinesioterapêuticos de fortalecimento muscular (iniciado com isometria e evoluindo com os ativo-resistidos), alongamento, bandagens (se necessário) e retorno gradual às atividades de vida diária.

Ft. Douglas Decavata atende na Clínica Max Peres Dias. Fone: (51) 3671-6843

Compartilhe: