Blog do Juares | Campanha de Multivacinação  ocorre em Camaquã de 11 a 22 de setembro

Camaquã-RS
04:35
23/09/2017

Blog do Juares | Campanha de Multivacinação ocorre em Camaquã de 11 a 22 de setembro

Redes Sociais

Facebook Twitter RSS Contato
Os melhores flashbacks de todos os tempos!
Anunciantes Blog do Juares

Notícias - Geral

Campanha de Multivacinação ocorre em Camaquã de 11 a 22 de setembro

13/09/2017 | 11h31 - Fonte: Jaqueline Almeida / Foto Divulgação
Compartilhe:

A Campanha de Multivacinação para atualização da caderneta de vacinação da criança e do adolescente em Camaquã será realizada na Secretaria Municipal da Saúde, Posto do Centro Social Urbano e Posto Telmo Marder (em frente ao hospital), no período de 11 a 22 de setembro, sendo o dia 16 de setembro (sábado), o dia de Divulgação e Mobilização Nacional.

A incidência das doenças imunopreveníveis mostra que mudanças importantes ocorreram no seu comportamento com o uso de vacinas e o avanço nas coberturas vacinais. Entretanto, a heterogeneidade dos resultados dessas coberturas vacinais pode contribuir para o recrudescimento de doenças, e requer, portanto a adoção de estratégias adicionais para o resgate e vacinação dos não vacinados.

Desta forma, o Ministério da Saúde, por meio da Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI) do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (DEVIT), da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) integrada e articulada às Secretarias Estaduais e Municipais da Saúde, realizará no período de 11 a 22 de setembro, a Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização de Caderneta de Vacinação, sendo 16 de setembro, o dia de divulgação e mobilização nacional.

A multivacinação é uma estratégia que a CGPNI vem adotando desde 2012 com a finalidade de atualizar a situação vacinal da população de crianças e adolescente menores de 15 anos de idade (14 anos 11 meses e 29 dias). A estratégia é realizada em um período determinado e em um curto intervalo de tempo, nesta oportunidade são oferecidas as vacinas da rotina, a fim de melhorar a cobertura vacinal e aperfeiçoar a logística dos serviços de saúde. Nessas campanhas procuram-se administrar vacinas de forma seletiva e possibilitar a atualização da Caderneta de Vacinação.

Neste sentido, a atuação dos gestores das três esferas de governo, bem como dos profissionais de saúde é de relevância na organização das ações da Campanha de Multivacinação.

Ainda existem localidades que apresentam baixas coberturas vacinais criando, assim, condições para formação de bolsões de suscetíveis às doenças imunopreveníveis. Como agravante, as condições de baixa renda e a desnutrição podem potencializar o risco de morte e ou sequela por doenças infectocontagiosas nessas localidades.

Nas campanhas de multivacinação, a comunicação e mobilização da população são fundamentais para que se obtenha uma maior adesão a esta estratégia. A comunicação social e os esforços das sociedades científicas e entidades de classe são importantes nas três esferas de gestão para atender as demandas dos educadores, dos profissionais de saúde, da população e da sociedade civil, assim como influenciar na captação da população alvo da ação.

As recomendações dos esquemas vacinais são elaboradas a partir de estudos que demonstram como uma vacina pode proporcionar o máximo de eficácia e proteção contra as doenças imunopreveníveis. Neste sentido, para cada vacina é estabelecido um esquema de vacinação, as faixas etárias alvo da vacinação, a idade mínima e máxima para receber cada dose, os intervalos ideais entre as doses, e ainda são levados em conta às questões logísticas e operacionais para a realização da vacinação nos programas nacionais de imunizações de cada país.

Portanto, doses administradas em intervalos inoportunos ou com número de doses insuficientes podem prejudicar o objetivo do programa de vacinação, uma vez que a proteção individual e coletiva passa a não ser alcançada e, com isso, as doenças que foram eliminadas podem recrudescer ou mesmo ter mudanças no seu comportamento epidemiológico, passando a cometer também adolescentes e adultos jovens, como é o caso atualmente da caxumba, com notificações em várias Unidades Federadas da ocorrência de surtos da doença nessa faixa etária.

Desta forma, esta estratégia busca resgatar a população não vacinada ou com esquemas de vacinação incompletos, tanto na infância como na adolescência, visando melhorar as coberturas vacinais e assim manter controladas, eliminadas ou erradicadas as doenças imunopreveníveis no Brasil.

Tendo em vista a complexidade do atual Calendário Nacional de Vacinação, que dispõe de 14 vacinas para as crianças e cinco para os adolescentes, é fundamental que toda a população alvo compareça aos serviços de saúde levando a caderneta de vacinação, para que os profissionais de saúde possam avaliar se há alguma vacina que ainda não foi administrada ou se há doses que necessitam ser aplicadas, para completar o esquema vacinal para cada vacina preconizada atualmente pelo PNI.

Horários de Atendimento:

Dia 16 (sábado) – Os três pontos de vacinação atenderão das 8:00h às 17:00h sem fechar ao meio dia

Dos dias 11 a 22 de setembro (com exceção dos dias 16 e 17):

Posto Centro Social Urbano – 11:00h às 16:30h
Secretaria da Saúde e Posto Telmo Marder – 08:00h às 12:00 e 13:30 às 16:30

Compartilhe:

comentários